Voltando a Machu Pichu

Entramos no Peru de carro por Tacna em direção a Puno. Já na fronteira percebemos a grande diferença em estar chegando num país pobre….”barraquinhos” de palha no meio da areia impressionam quem chega. As estradas não são ruins, mais muito, muito sinuosas e literalmente rodeiam as montanhas, o que dificulta o percurso. Num mesmo dia, chegamos com 32 graus no início da tarde, passamos por uma tempestade de areia na costa, subimos até o gelo a 3 graus, passamos por uma grande massa de neblina e descemos de novo chegando em Puno a 18 graus tarde da noite.

No dia seguinte, exaustos, passamos o dia no hotel só descansando……no outro, fomos ao Titicaca conhecer como vivem as famílias da comunidade Los Uros. Interessante do ponto de vista turístico, mais precário do ponto de vista humano.

Chegando em Cuzco o panorama mudou e começamos a nos encantar com a história do lugar, sobretudo com a relação que os povos andinos faziam entre o homem, a natureza e o divino. Que cultura interessante.

Passeamos pela cidade, visitamos as ruínas em volta dela, fomos ao Vale Sagrado e fizemos novas amizades: com Rubem (nosso guia no primeiro passeio) e com Oliver, um alemão que conhecemos no mesmo passeio que nos acompanhou em outros e que ainda encontraremos na Alemanha. Após passarmos o dia vivenciando a cultura Inca/andina pelo discurso de Rubem, entramos pela noite conversando durante um jantar internacional – Brasil x Peru x Alemanha. Foi muito agradável.

Enfim, depois de 3 dias em Cusco, muitos passeios e conversas. Pegamos o trem para Machu Pichu. Cidade sagrada para o povo Inca que foi queimada para que os espanhóis não a encontrassem.

Estive lá há uns 20 anos atrás….após 4 dias de trilha Inca. Pouca coisa mudou na cidade, mas eu com certeza sou outra pessoa. As percepções são um pouco diferentes, mais o encantamento de ver um monumento como aquele e ainda poder apresentá-lo ao meu marido e filhos, é muito legal.

Depois de Machi Pichu seguimos para Nazca, queríamos muito ver as linhas (geoglifos) que são realmente impressionantes. Ficaríamos somente um dia, mas a Sofia estava gripada e resolvemos esticar mais um. Para a nossa surpresa, descobrimos um tour super interessante que nos levou a conhecer melhor a cultura Nazca (povo também dominado pelos Incas). Fomos ao complexo de Cauachi com seus 24km de extensão (ainda em processo de escavação), conhecemos o cemitério de Cauchilla e aquedutos (são 80 em toda a região) que são usados até hoje pelos agricultores locais. ;oO

Enfim, o Peru encanta e intriga.

É difícil pra mim entender como um povo que no passado foi tão glorioso, hoje passa por tantas dificuldades econômicas e culturais. A destruição de fato foi grande e a distância é enorme….espero que se reergam em breve.

9 Respostas para “Voltando a Machu Pichu

  1. Cancun eh lindo mas a capital do Mexico eh poluida e caotica.Espero q a estada de vcs seja alegre ,perfeita.muitos tacos e guacamole . Arriba Eles adoram a Muerte. Cemiterio e festa. Isso eh verdade? Pimenta nao eh para incaltos bjs

    Curtir

    • Obrigada Laurinha !! Sim, a Sofia está melhor, sofreu bastante com a altitude do Peru e com o clima seco de Santiago, mas agora está bem ;o) bjs minha amiga

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s