Suíça. Que país é este…?

Suíça. Que país é este…?

Temos muito a falar desse lugar, mas antes de iniciar o relato sobre nossa experiência na Suíça, temos que expressar nosso profundo agradecimento aos amigos Paulo e Débora e seus filhos Isabela e André, que nos receberam em sua casa em Berna, e tivemos dias esplendidos juntos, e aos amigos Luciana e Bruno que nos apresentaram Lausanne, essa experiência de estar com vocês engrandeceu demais nossa viagem e nos acariciou com o sentimento de aconchego e o carinho de estarmos em família.

Vamos as curiosidades desse país:

  • A Suíça é dividida em quatro áreas linguísticas, a alemã, francesa, italiana e o romanche, esse último falado apenas por 0,5% da população. Essa divisão também se mostra muito clara na arquitetura, cultura e gastronomia de cada lugar.
  • Possui um sistema político de democracia direta, onde todas as leis são votadas pela população através de referendos, quer a nível federal, cantonal (estado) ou municipal. Dessa forma os suíços participam diretamente de todas as decisões do país, quer seja a implantação de uma nova linha do transporte público até a inclusão ou não na União Européia, etc.
  • Os Cantões são totalmente independentes, e se alguma lei federal não for aprovada em algum deles, ela passa a valer para os demais e não para o que não aprovou.
  • A qualidade de vida é o principal índice percebido pela população, no geral os suíços não são esbanjadores, e têm na disponibilidade de tirar férias o grande diferencial e representação de status.
  • O índice de desemprego é muito baixo, cerca de 3%, não existe um salário mínimo oficial, mas um valor de CHF 3.600,00 (três mil e seiscentos francos) aproximadamente US$ 3.770,00, atribuído como o minimo para se viver dignamente, e esse valor acaba sendo o referencial de salário mínimo.
  • As vagas de emprego podem ser oferecidas de 10% a 100%, ou seja, uma mesma vaga pode ser preenchida por mais de um funcionário, por exemplo: uma pessoa trabalhando 40% (equivalente a 2 dias semanais) e outra trabalhando 60% (equivalente a 3 dias semanais), os trabalhadores recebem o equivalente ao percentual trabalhado.
  • O Conselho Federal é formado por 7 ministros que governam juntos o país e se revezam na representatividade de presidente, um a cada ano.
  • Um dos  países mais caros do mundo, essa também é a razão pelo cálculo do mínimo para se viver dignamente. A saúde é particular, existe a obrigatoriedade de vários seguros, inclusive o residencial. O transporte público é excelente, pontual e limpo, você pode chegar a qualquer lugar, mesmo os mais isolados através deles, mas são bastantes caros.
  • As multi fronteiras proporcionam aos suíços a possibilidade de fazer compras e frequentar os restaurantes dos países vizinhos (principalmente Alemanha, França e Itália) onde os produtos e serviços são mais baratos (dá pra ter uma idéia dos preços por lá).
  • A palavra basta. Na Suíça a relação de confiança entre as pessoas e as empresas é de tal tamanho que você vai ao mercado, faz suas compras e você mesmo paga, tudo na relação plena de confiança. Nossos amigos tiveram um incidente numa viagem a Portugal, onde o carro foi aberto e levaram um celular, como na Suíça os seguros cobrem muito mais do que o carro e a casa, o aparelho também estava coberto, dessa forma um simples telefonema para a seguradora, que de pronto os deixou tranquilos para continuar desfrutando da viagem, bastou para registrar e resolver o problema, e ao retornarem para a Suíça foram avisados que o modelo do aparelho não estava mais disponível mais que poderiam optar por um upgrade ou receber o valor em dinheiro. Simples assim, sem boletim de ocorrência, perícia, nota fiscal, foto do equipamento, etc.
  • O Suíço desfruta da natureza que o cerca, utilizando as praças, parques, rios, lagos e montanhas. Numa relação de equilíbrio, onde cada estação do ano proporciona um tipo de atividade. Muito comum é fazer pic-nic, nadar nos rios e o tradicional churrasco de linguiça Cervelat.
  • Equipamentos eletrônicos por aqui são baratos, comparei notebook e equipamentos fotográficos, e os valores são equivalentes aos do Paraguai, mas com a grande diferença de confiança sobre o que você está comprando.
  • O sistema de ensino também tem seus diferenciais e é reconhecido internacionalmente. Cada cantão tem seu próprio sistema de educação, mas no geral as crianças passam 9 anos no período escolar, a educação é gratuita, as crianças iniciam aos 7 anos a educação primária e aos 16 anos iniciam a formação secundaria, que pode ser de formação vocacional (técnico profissional), opção de cerca de 60% dos alunos, onde  revezam entre escola (2 ou 3 dias da semana) e estagio em uma empresa do ramo e já começam a receber pelo estagio, ou o “gymnasium” (educação acadêmica) voltada principalmente aos alunos que pretendem os estudos universitários.

Agora um pouco das nossas aventuras pelas terras dos chocolates, queijos e relógios.

A Lu participou da corrida feminina em pró ao combate do câncer de mama em Zurique, com essa maravilhosa equipe de brasileiras expatriadas. Algum suor e muita lama.

Tivemos a oportunidade de fazer passeios e viver um pouco como os suíços, graças ao Paulo e Débora que moram no país a 9 anos e fizeram um roteiro de quem conhece tudo por aqui.  Um passeio pela área histórica de Berna, com direito a banho no chafariz (Caio) em frente ao parlamento (e segundo a lenda sob essa praça está o cofre do Suisse National Bank, com as maiores fortunas do mundo).

O Rio Aar que corta a cidade de Berna é muito utilizado para o lazer, as pessoas descem de botes ou bóias, chegando a ir de uma cidade a outra. No Valle Verzasca mais banho de rio e pic-nic, um visual lindo e águas geladas, e a Ponte dei Salti completando o cartão postal. Lugano, na Suíça Italiana guarda o lago Magiore, ficamos encantados com o lugar, pela beleza e o ar espontâneo que marca a cultura italiana.

E que tal fazer o passe sobre os alpes suíços? Sim, cruzados da Suiça Alemã para a Italiana sobre os Alpes, que experiência única. Um churrasco em Zermat de frente para o Matterhorn (aquele do chocolate Toblerone).

Em Vevey visitamos o museu do Chaplin, instalado na casa em que ele morou nos últimos 25 anos de sua vida, vale a visita. Um passeio na orla de Montreux e o alto astral da cidade é contagiante, aqui também viveu Fred Mercuri.

Fomos convidados a saborear o tradicional fondue de Fribourg na casa dos amigos Helton e Elisane, uma verdadeira delícia.

E a experiência de descer de trotinete a montanha foi muito legal, como sempre um lindo visual e a sensação de brincadeira de infância.

A pequena Gruyère é uma cidade repleta de encantos, no alto da montanha guarda um ar medieval e 3 museus totalmente distintos, o do castelo, do Tibet e H.R.Ginger do criador do Alien, escolhemos esse último para visitar e como não somos grandes fãs da série, achamos um pouco pesado, mas pra quem curte vale a visita.

Em Lausanne fomos recebidos pela Luciana e Bruno, que estão empreendendo na cidade e foi ótimo saber como é essa realidade de empreendedores em outro país. E aproveitamos para uma visita rápida em Genebra para finalizar nossa estadia na Suíça, mais um país encantador pelo qual tivemos a grande oportunidade de conhecer.

PS: na revisão a Lu cortou as 17 vezes que mencionei  “maravilhoso” no texto, acho que tá rolando uma censura. rsrsrs

6 Respostas para “Suíça. Que país é este…?

  1. kkkkkk… adorei a observação. Deve ser mesmo muito maravilhoso! Amei as fotos!! Dá vontade de conhecer tb!! E as descrições das características do país. Bjos família linda!😚

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s